Pessoa realizando compra online com cartão de crédito

Fraudes na Black Friday: 5 riscos de golpes para prevenir

A data promete render muitas compras, e com elas, a possibilidade de golpes. Saiba como se proteger das fraudes na Black Friday.

Se você gosta de realizar compras online, deve tomar cuidado com as fraudes na Black Friday. A tradicional data do varejo norte-americano acontece logo depois do dia de ação de graças, e teve sua popularidade expandida em todo o mundo. Tanto é que, desde 2010, esse dia faz parte do calendário de liquidações do Brasil.

A data também é muito esperada pelas empresas brasileiras, especialmente após um período forte de recessão causado pela pandemia. Devido ao alto volume aguardado de compras online, existe uma expectativa muito alta em relação aos resultados financeiros dos negócios virtuais e movimentação da economia.

Para que toda a esperança e otimismo não se transformem em um pesadelo, é preciso ter atenção ao cenário de fraudes e golpes tão comuns nesse período. Afinal de contas, diversas pessoas mal intencionadas também se aproveitam da data para cometer crimes.

Neste post, você vai entender quais são os riscos mais comuns e aprender a evitar uma possível “Black Fraude”.

Quando é a Black Friday Brasil?

No ano de 2021, a Black Friday acontece no próximo dia 26 de novembro. Contudo, é importante lembrar que o fim de semana que sucede essa data também pode ser bastante movimentado, incluindo a Cyber Monday (data famosa pelas promoções de eletrônicos), na segunda-feira seguinte.

Cada empresa também pode aproveitar a data para criar uma “Black Week”, estendendo os descontos durante toda a semana. Diante desta realidade, todo o mês de novembro pode ter uma atenção especial por parte dos criminosos, tendo em vista que os incentivos para transações financeiras podem abrir muitas brechas para golpes.

Vale a pena comprar na Black Friday?

Para quem já monitora os valores dos produtos que deseja adquirir com, pelo menos, duas semanas de antecedência, a resposta é “sim”! Apesar de nem sempre ser possível contar com promoções agressivas para todos os tipos de produtos que você procura, é possível conseguir até 80% de desconto em alguns itens de desejo.

De acordo com o comparador de preços Buscapé, os destaques da Black Friday de anos anteriores foram os e-books (com uma média de 77% de desconto), eletrodomésticos (que obtiveram, em média, 51% de desconto) e itens de informática (com aproximadamente 42% de desconto, em média). Alguns modelos de câmeras fotográficas, smartphones, televisões e relógios também foram alvo da liquidação.

compras na black friday

5 riscos de fraudes na Black Friday para conhecer (e se proteger)

Diante da possibilidade de economizar dinheiro e comprar muito, diversos compradores não tomam as precauções necessárias para proteger seus dados pessoais e financeiros. Muitos hackers e golpistas estão cientes disso, e elaboram estratégias para abusar dessa empolgação e atacar os compradores neste período.

Conheça agora as fraudes na Black Friday mais comuns e saiba como tomar precauções para se manter livre delas.

1. Ataques de phishing

Em um ataque de phishing, a estratégia é tentar induzir a vítima a realizar alguma ação que normalmente não faria, como acessar um link suspeito ou preencher algum formulário que promete uma promoção imperdível. Neste tipo de golpe, é comum que sites, anúncios ou aplicativos falsos se passem por empresas famosas com o objetivo de “fisgar” o usuário para obter informações confidenciais dele.

Links de phishing geralmente levam a vítima até páginas de login falsas, que solicitam sua autenticação em uma de suas contas da web. Você pode pensar que está fazendo login em sua conta da Amazon, por exemplo, mas na verdade está apenas entregando seu nome de usuário e senha a um invasor.

Estimamos que os golpes de phishing fizeram mais de 150 milhões de vítimas em 2021, e com a Black Friday este número tende a aumentar ainda mais. Para se proteger contra esses ataques, você deve ter cuidado com os links desconhecidos que recebe, além de verificar sempre a legitimidade do domínio de uma página da web antes de tentar fazer login com suas credenciais. Para isso, use nosso verificador de links e saiba em instantes se a URL que você deseja acessar é segura.

2. Malwares

Às vezes, um e-mail de phishing não vem com um link, mas um anexo malicioso. Ele pode vir disfarçado como um anúncio falso sobre a Black Friday, uma imagem ou qualquer outro arquivo capaz de danificar seus sistemas.

Uma pessoa desavisada pode decidir habilitar o download daquele conteúdo e instalar um malware em seu dispositivo. Esses programas então estarão prontos para comprometer o funcionamento de seu sistema, acessar informações confidenciais e até roubar suas credenciais bancárias, usando páginas de login falsas.

A PSafe estima que mais de 12 milhões de malwares foram bloqueados no último trimestre no Brasil. Você pode se proteger contra os danos instalando alguma solução voltada para a proteção de dados em seu computador e mantendo-a atualizada. É preciso ter atenção na escolha, tendo em visto que alguns antivírus são limitados em sua eficácia porque novos tipos de ataques surgem todos os dias.

Você também deve habilitar a autenticação de dois fatores em suas contas de e-mail, instituições bancárias e redes sociais. Isso ajudará a evitar que invasores acessem suas contas, mesmo com acesso ao seu nome de usuário e senha.

3. SPAM

O SPAM é um dos tipos mais comuns de fraudes na Black Friday. Há quem pense que isso se trata apenas dos anúncios indesejados que chegam via SMS (também conhecido como smishing) ou e-mail. Na verdade, o conceito de SPAM vai além das ofertas comerciais. Uma mensagem do seu banco avisando de um agendamento que você não fez ou um falso alerta dos correios para informar de uma encomenda à sua espera também se enquadram nesta categoria.

Na Black Friday, este golpe se torna mais evidente em forma de falsos cupons para empresas famosas ou ofertas imperdíveis. Seja qual for a maneira que assumir, este conteúdo tem o objetivo de induzi-lo a fornecer seus dados pessoais ou financeiros. Os invasores podem então abusar dessas informações para cometer fraudes com o seu cartão de crédito ou roubar sua identidade.

Desconfie de promoções boas demais para serem verdade. Em caso de dúvidas, entre em contato diretamente com a empresa que fez a oferta e confirme se o desconto é legítimo.

4. Mudanças de preços

Você já vivenciou a experiência de ver um preço específico no momento em que está navegando pelo site de compras, mas se deparar com o mesmo item por um valor mais caro após adicioná-lo no carrinho?

Isso acontece com mais frequência durante a Black Friday porque diversas promoções contam com o gatilho de escassez do tempo, ou seja: procuram pressionar o comprador a pagar sua compra antes do fim do estoque de produtos, ou estabelecer uma “contagem regressiva” para o fim da oferta.

Esse mesmo senso de urgência pode fazer com que o consumidor acabe pagando um preço diferente do que gostaria, e só perceba depois. Neste caso, desconfie de prazos muito apertados e agressivos. Você pode estar sendo induzido ao erro de propósito.

5. Sites falsos

Uma página copiada ou falsa é a forma mais popular de enganar os consumidores online. Geralmente, os cibercriminosos clonam layouts de sites para que se pareçam com as páginas legítimas. Assim, é possível roubar dados de cartão de crédito e outras informações confidenciais.

Para saber se o link é confiável, você pode usar o nosso verificador que apresentamos anteriormente, mas antes de tudo é preciso ter atenção aos detalhes: a página que conter links com erros ortográficos, imagens pixeladas e menus que não funcionam corretamente sempre devem ser suspeitas.

Antes de clicar em qualquer link, passe o cursor sobre ele e certifique-se de que mostra o URL de destino real. Confira se esta URL contém letras trocadas, conforme mostra a imagem abaixo. Outra dica é verificar se há um ícone em forma de cadeado na barra de endereço, já que a sua presença garante que aquele site é seguro.

O mesmo tipo de fraude pode acontecer com perfis de redes sociais. Muitas lojas procuram abordar vítimas usando perfis falsos, por isso é importante analisar sempre as interações de cada post. Verifique se a comunidade de seguidores ou amigos daquele perfil é ativa, e se os comentários estão visíveis.

Como comprar com segurança na Black Friday Brasil?

Os compradores podem tomar várias precauções, incluindo as explicadas acima, para dificultar o direcionamento de suas informações pessoais e financeiras por invasores. No entanto, nem todas essas etapas podem garantir a sua proteção, sendo importante conciliá-las com boas práticas.

1. Nas compras online, dê preferência aos cartões virtuais como forma de pagamento.

2. Caso o pagamento seja feito via boleto, não se esqueça de checar o nome da empresa beneficiária que aparecer no momento final de pagamento (seja no caixa eletrônico, seja no internet banking). Caso haja alguma divergência, suspenda a transação.

3. Para as compras presenciais, confira o valor a ser pago na maquininha de cartão antes da inserção da senha. Não se esqueça de conferir se o cartão devolvido realmente é o seu e não foi trocado.

4. Em hipótese alguma realize uma compra em um site desconhecido sem pesquisar antes sobre sua reputação. O site reclame aqui pode ser uma boa ferramenta de pesquisa.

5. Evite o preenchimento de formulários que garantem acesso exclusivo às promoções de Black Friday.

6. Nunca use computadores públicos para acessar seu internet banking ou informar dados bancários.

7. Acesse a lista do PROCON com os sites que devem ser evitados durante a Black Friday.

8. Monitore os preços de seus produtos de desejo com algumas semanas de antecedência, para se certificar de que não há aumentos prévios nem falsas promoções no dia da Black Friday.

Empresas também devem ser responsáveis

As empresas também têm sua responsabilidade quando o assunto é segurança. Por isso, precisam redobrar o cuidado quanto ao cumprimento da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e se prepararem para demonstrar transparência, alertando os consumidores sobre a forma como suas informações pessoais serão administradas.

Isso não é tudo: também é dever dos comerciantes garantir toda a segurança possível em seus processos de transações financeiras. Para isso, contar com um software completo de proteção de dados e ter uma boa política de segurança da informação deixou de ser apenas um diferencial: hoje em dia, isso é uma necessidade. Os esforços para impedir fraudes e vazamentos de dados de clientes não devem ser medidos.

Outra regra estabelecida pela lei é a coleta de dados pessoais essenciais para a compra e venda, apenas. Isso significa que somente as informações necessárias para a transação comercial podem ser solicitadas. Qualquer outra finalidade depende do consentimento do consumidor, ou seja: o envio de e-mails, campanhas publicitárias e solicitação do CPF do cliente como condição para descontos merece atenção redobrada e pode até mesmo ser revisto por parte das empresas.

Agora que você já sabe como se proteger melhor contra as fraudes na Black Friday, aproveite para assinar nossa newsletter e ficar por dentro de tudo o que aparece sobre cibersegurança aqui no blog!