Golpe de Black Friday atinge mais de 45 mil pessoas

Segundo o dfndr lab, mais de 1600 golpes de Black Friday e perfis falsos em redes sociais foram detectados somente no mês de novembro.

O dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital, detectou 1600 golpes e perfis falsos com temática de Black Friday somente no mês de novembro no Brasil. Grandes marcas de varejo, como Americanas, Walmart e Magazine Luiza, são as mais utilizadas de forma indevida por cibercriminosos para atrair vítimas. Até o momento, mais de 45 mil pessoas receberam, acessaram ou compartilharam os ataques.

Como ocorrem os golpes de Black Friday

Para dar veracidade aos golpes, os cibercriminosos criam páginas falsas quase idênticas aos portais oficiais das lojas populares. Depois, diversas ofertas, geralmente abaixo do valor de mercado são divulgadas e até patrocinadas nas redes sociais, como no Facebook e Instagram. Os usuários, imaginando se tratar de uma promoção verdadeira, se cadastram e realizam pagamentos via depósito, cartão de crédito ou boletos, que caem diretamente na conta do cibercriminoso. Por fim, as vítimas nunca recebem o suposto produto ou serviço comprado.

Leia mais: É seguro pagar contas pelo celular?

Principais riscos para você

Os golpes disseminados durante o período da Black Friday têm como objetivo principal roubar dados bancários e credenciais dos usuários, como senhas, números da conta e dados de cartão de crédito. Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, as consequências para as vítimas são diversas e qualquer descuido pode significar em perdas e dor de cabeça para o consumidor, vítima desses ataques.

“Além de receber o dinheiro das vítimas em suas contas, os atacantes também buscam roubar dados financeiros e pessoais dos usuários no momento da compra. A clonagem de cartão de crédito, por exemplo, é um dos crimes mais comuns do mundo digital. Por fim, os criminosos obtêm lucro financeiro e, ainda, há a possibilidade do roubo de identidade, onde eles se passam pela vítima para disseminar outros golpes entre seus contatos ou solicitar empréstimos em seu nome”, ressalta Simoni.

Leia mais: Golpe do emprego falso cresce 174% entre janeiro e outubro de 2019

Como se proteger

Para evitar golpes nesta Black Friday, Simoni lista alguns cuidados que você deve ter:

  • Compre apenas em sites confiáveis. Verifique se loja virtual possui CNPJ, endereço e telefone de contato, para ter a certeza que não se trata de uma empresa de fachada. Na dúvida, é possível verificar se um perfil é falso no site do dfndr lab. A checagem de links avisa em poucos segundos se um site pode oferecer alguma característica maliciosa.
  • Fique atento aos preços e prazos de entrega. Sempre desconfie de promoções e ofertas que tenham preços ou prazos de entrega muito abaixo da média.
  • Tenha um bom recurso de segurança instalado no celular. Utilize soluções de segurança que disponibilizam, de preferência, a função de detecção automática de phishing em aplicativos de mensagem e redes sociais, como o dfndr security. Com ele, você recebe alertas sempre que receber ou acessar um golpe ou perfil falso. Você pode baixar grátis o dfndr security aqui.

Instale o dfndr security.Instale o dfndr vault.
 

PUBLICIDADE

Proteção em segundos. Instale o dfndr security.