Cuidado ao compartilhar o seu número de CPF na internet

Veja como proteger seu número de CPF e não ser vítima de golpes aplicados pela internet

Será que corremos riscos ao informarmos nosso número de CPF na internet? A resposta é sim! O Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) é uma das formas mais essenciais de identificação e é crucial para provar quem você é.

O roubo, a clonagem e o uso indevido de números de CPF têm se tornado frequente. Com esse tipo de dado em mãos, os criminosos podem gerar grandes prejuízos financeiros às vítimas a partir de compras de produtos, solicitações de cartões de crédito, entradas em financiamentos, entre outras coisas que podem fazer com que o nome dessas pessoas fique negativado, passando a constar na lista do Serasa e SPC. Por isso, é importante saber exatamente quando você pode ou não informar dados pessoais como este na internet.

Pensando nisso, Emilio Simoni, Diretor do dfndr lab – laboratório especializado em segurança digital – separou alguns conselhos úteis para você proteger seu CPF e não ser vítima de golpes aplicados pela internet.

1- Não responda e-mails ou mensagens de celular que solicitam informações pessoais

É muito comum que hackers enviem e-mails ou mensagens de texto (SMS) se passando por instituições oficiais, como bancos e operadoras de celular, para solicitar informações pessoais importantes, como número de CPF.
A recomendação de Simoni é não responder a essas mensagens e nem clicar em nenhum link que tenha sido enviado junto. Se possível, bloqueie o número de telefone ou endereço de e-mail que entrou em contato com você.
Na dúvida se a mensagem é verdadeira ou não, procure um canal oficial para falar diretamente com a suposta instituição que te enviou a mensagem.

2- Desconfie de promoções e brindes oferecidos por meio do WhatsApp

Segundo dados do Relatório de Segurança Digital no Brasil, produzido pelo dfndr lab, o WhatsApp foi o app mais usado por hackers para atrair vítimas no último trimestre de 2017. Foram registradas mais de 44 milhões de tentativas de ataques.
Por isso, não clique em nenhum link de mensagem que ofereça serviços grátis, brindes e promoções recebidos pelo WhatsApp, mesmo que tenha vindo de um amigo ou parente. E se clicar, não informe nenhum dado solicitado.

3- Fique atento a segurança do site que você vai informar seu número de CPF

Antes de informar seu CPF, verifique se o site que está solicitando esse dado é seguro. Isso pode ser feito das seguintes formas:

    • Para usuários Android, basta ativar a função Bloqueio de Hackers do dfndr security. Assim, sempre que um link falso e perigoso for acessado ou recebido por mensagem, o app enviará imediatamente um alerta de segurança para proteger seu celular.
    • Para usuários de iOS e Windows Phone, basta usar o verificador de links do dfndr lab. Ao abrir o dfndr lab e colar o link, na mesma hora ele informará se é falso e perigoso.
      Veja aqui como criar um atalho do dfndr lab no seu celular!

4- Veja se é possível usar formas alternativas de identificação

Mesmo que você tenha certeza de que o site acessado é 100% seguro, veja se é possível utilizar outra forma de identificação no lugar de seu número de CPF. Números de carteira de motorista, número de passaporte ou seu endereço às vezes podem ser suficientes e dificultam a criação de documentos falsos em seu nome.

*Texto publicado originalmente em 26 de setembro de 2014.